2003

by Kasparhauser

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
04:55

about

Primeiro single do nosso EP/álbum que ainda não tem nome.
2003 foi uma música muito especial de se fazer. Eu nunca tinha falado do passado e sentido tanta saudade da minha infância. Ela foi escrita dentro da sala de aula em algum tempo vago no Colégio Pedro II. Demos vida pra letra nos nossos ensaios, e aqui estamos. Eu nunca pensei que chegaria com meus amigos até aqui, e muito menos que em algum dia eu estaria compartilhando isso com o mundo. Esperamos que vocês gostem <3

João Vittor Koeppe Pedroza

credits

released April 22, 2017

Single produzido, gravado, mixado e masterizado por Hugo Yukio Noguchi
Gravado no Studio Verde, em Cosme Velho, RJ
Bateria por Afonso Ribeiro Filho.
Guitarras por Gabriel Ventura e Arthur Rosa
Baixo por Hugo Yukio Noguchi
Letra e vocais por João Vittor Koeppe Pedroza


Capa: colagem de fotos nossas na infância feita pela May Marques <3

tags

license

all rights reserved

about

Valente Records Duque De Caxias, Brazil

contact / help

Contact Valente Records

Streaming and
Download help

Track Name: 2003
Me lembro de 2003,
Do dia em que George W. Bush mandou suas tropas pro Iraque,
E eu saí da escola marchando.
Eu caminhava enquanto olhava o céu e não sabia o que era guerra.
Eu não sabia o que era guerra.

Me lembro de carregar a bandeira em desfiles de 7 de setembro,
De ir pescar na praia com meu avô,
E de me apaixonar toda semana.

E eu que sempre falei,
Hoje me contento em olhar,
Os dias simplesmente morrem e eu não quero aceitar,
Meus amigos se escondem, mas ainda posso os ver.

Não sei o que me leva a ser insaciável.

A chuva fina cai em meus cabelos bagunçados,
E eu me lembro de quando me disseram que um dia eu seria grande.
Os dias simplesmente morrem e eu não quero aceitar,
Eu preciso me perder pra poder me encontrar

Essa cidade pode ser algo surreal,
E as pessoas podem se contemplar,
Até que a noite caia, e todos voltem a se odiar.

Como numa verdadeira selva de ruas cinzas,
Vias congestionadas,
E canibais.